Búzios quer atrair o turismo de fé

O brasileiro, em sua maioria, é religioso. A fé está enraizada na cultura do país desde a sua formação, e mobiliza a vida das pessoas até hoje. O Brasil dispõe de destinos religiosos, que atraem o público nacional e estrangeiro. A cada ano, este importante segmento turístico apresenta números expressivos em valores. Dados do Ministério do Turismo (MTur) demonstram que este setor específico movimentou mais de 15 milhões de reais, evidenciando sua importância para a economia nacional, sobretudo em tempos de crise. O Brasil é um dos países mais ricos em cultura, miscigenação de raças e, sem dúvidas, religiões. Anualmente, diversas pessoas procuram por roteiros de fé: tanto pela experiência espiritual, quanto pelas maravilhosas celebrações que acontecem pelo país afora. Multidões se deslocam em feriados importantes como a Páscoa, Finados e o Natal, para acompanhar de perto essas manifestações religiosas. E isso, é claro, ajuda a movimentar a economia e gerar emprego do setor turístico de muitas cidades brasileiras.

Diante desse quadro e com objetivo de estimular o turismo religioso em Búzios, o presidente do Búzios Convention e Visitors Bureau (BC&VB), empresário Thomas Weber conversou, esta semana, com Luiz Romano de Souza Lorenzi, 39 anos, filho da terra, nascido e criado no centro da cidade, técnico em turismo, ex-secretário de Cultura de Búzios; e historiador com profundo conhecimento religioso. Ele foi responsável por toda a pesquisa do belíssimo livro “Búzios”, de Aírton Guimarães, lançado em 2015. Em pauta, o resgate do turismo religioso em Búzios. Em duas horas, trocaram muitas informações.

Turismo religioso: “um bom negócio”

O diálogo foi iniciado pelo empresário Thomas Weber que destacou a velocidade com que este segmento vem crescendo nos últimos anos:

– O turismo religioso é um grande negócio. Considerando apenas os Estados Unidos, estima-se que cerca de 25% do público que viaja interessa-se no turismo baseado na fé. Quando se soma a este número as pessoas que viajam para convenções baseados na fé, tais como casamentos, bar mitzvahs ou funerais, o número torna-se extraordinariamente grande. O segmento da viagem religiosa mundial é um dos setores em crescimento mais rápidos dos dias de hoje. A deslocação religiosa é estimativamente avaliada em 18$ bilhões de dólares e 300 milhões de viajantes – calcula o empresário, que também é presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SindSol) e membro da diretoria da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação.

Romano, com a palavra, garantiu que para o turismo religioso aquecer ainda mais a economia local, é necessário uma parceria integrando o turismo X poder público X igrejas:

– É preciso unidade entre o comércio local, administração pública e Paróquia de Sant’Anna e Santa Rita de Cássia. A Paróquia precisa entender que as nossas festas de Padroeiros precisam de uma “nova roupagem”, e essa roupagem é muito importante para dar beleza a essas manifestações de fé do povo buziano. As festas eram lindas, eram marcadas bela beleza, fé e cultura… Hoje as nossas festas estão feias. É preciso resgatar essas belezas, urgentemente. Eu creio que o Padre Cosme entenderá essa necessidade em deixar que a parte cultural e popular das festas ganhe uma “pitada” de beleza. O povo como um todo tem que participar das festas, trabalhando, dando idéias, e apresentando com orgulho e não com vergonha a festa para os nossos visitantes. Eu sonho um dia voltar a ver e desfrutar das antigas festas que deixaram saudades nos corações de todos nós moradores de Búzios e também, dos turistas que participavam animadamente dos festejos – contou Romano, acrescentando ainda, que os casamentos realizados nas Igrejas de Búzios, geram empregos.

Abrir as igrejas para visitação

Segundo o ex-secretário de Cultura de Búzios, as estruturas, “Igrejas” precisam ficar abertas para visitação e o calendário religioso melhor divulgado “. Em Búzios, continuou Romano, “25% da população são católicos e não devem ser esquecidas, as outras religiões cristãs que também tem seu calendário de celebrações que atrai centenas de seguidores. Ele lembrou, que a realização da Jornada Mundial da Juventude, em 2013, no Rio de Janeiro, foi exemplo da força do turismo e Búzios pode agradar parte desse público que esteve na cidade. Com a inauguração da Capela de Nossa Senhora Desatadora dos Nós, em Manguinhos, em setembro de 2001, criou-se uma enorme expectativa de um novo público para o turismo: o religioso:

– É preciso organizar uma liderança e junto à administração pública, alavancar o desenvolvimento desse importante setor. Búzios merece esse público religioso, desfrutando da nossa infra-estruturar hoteleira, gastronômica, dos mais variados serviços, além da beleza de nossas praias. É preciso também, uma Pastoral do Turismo forte, afinal, Búzios é uma cidade eminentemente turística – avisa Romano, que é devoto da Sant`Anna desde os 13 anos.

Tanto Weber como Romano concordam em afirmar que com o passar dos tempos, as festas religiosas de Búzios foram sendo descaracterizadas. Romano, no entanto, atribui a “falta de sabedoria do clero, que não respeitou a cultura de um povo; o crescimento da cidade e a falta de apoio do poder público:

– As festas precisam “ressurgir das cinzas“. É necessário fazer um trabalho sério, planejado, com muito amor e humildade. O povo buziano merece ter de volta as grandes festas religiosas de Búzios – ressaltou Luis Romano, que vai marcar uma reunião com o padre Cosme Neves Navarro, páraco das Igrejas de Santa Rita e Sant `Anna com as entidades ligadas ao turismo e poder público para debater o assunto.

Patrimônio Religioso
Santa ´Anna – Belíssimas construções religiosas em nossa Cidade. A Histórica Capela de Sant’Anna é uma pequenina construção que data 1740, em seu interior destaca-se a Miraculosa Imagem da padroeira de Armação dos Búzios que, segundo pesquisadores, é do período de 1600. Essa imagem é de Origem Portuguesa e apareceu na antiga Praia dos Marimbondos, hoje conhecida Praia dos Ossos, isso no ano de 1740. No interior da Capela também encontramos a pia Batismal e destaca-se também, um confessionário autêntico incrustado na parede.

Desatadora dos Nós – A Capela de Nossa Senhora Desatadora dos Nos fica do lado esquerdo de quem entra no pátio frontal da Igreja de Santa Rita de Cássia, que já existia no local. A capela foi erguida à custa de Isis Penido, uma advogada e dama da sociedade carioca, que é devota de Maria Desatadora de Nós. Ela e seu marido possuem uma casa de veraneio em Búzios. Isis Penido já havia procurado um local para erguer uma capela para a Santa, mas não havia conseguido concretizar a idéia. E após uma missa na Igreja de Santa Rita de Cássia em Búzios, ela perguntou ao Padre Ricardo Whyte, o páraco, se poderia construir um altar em homenagem à Maria Desatadora de Nós. O Padre Whyte não somente gostou da idéia, como também sugeriu que construísse uma capela ao invés de um altar. E deste modo surgiu esta capela em Búzios, que segundo dizem, é a primeira no mundo a ser dedicada exclusivamente à Maria Desatadora de Nós, enquanto que santuários de outros locais se limitavam à apenas um altar dedicado à Santa.

Assembléia de Deus – Destaca-se entre as construções protestantes a Igreja Assembléia de Deus em seu estilo Clássico e sua localização na Rua das Pedras. Na Igreja Assembléia de Deus em suas celebrações a atração é a Orquestra Pastor Gentil Medeiros.

Igreja da Baia Formosa – Igreja Metodista da Baia Formosa (Estrada de Búzios /Cabo Frio) foi construída no ano de 1926, em estilo clássico é uma bela obra da arquitetura. Foi erguida, quando Búzios ainda pertencia à cidade de Cabo Frio, ficando a frente da responsabilidade da Construção os membros da Igreja Metodista Central de Cabo Frio. É a primeira manifestação Cristã Protestante de Armação dos Búzios.

Igreja de Manguinhos – Igreja Metodista de Manguinhos foi construída em estilo clássico, no ano de 1933 está no bairro de Manguinhos, a beira da Avenida José Bento Ribeiro Dantas.

Igreja dos Ossos – Conforme relatos, foi construída por inspiração DIVINA, após uma reunião na Igreja MÃE de Baia Formosa. Os relatos narram que “ Deveria ser construída na aldeia de pescadores a beira Mar…” Encontra-se hoje preservado esse pequenino prédio de grande beleza, na Praça dos Ossos. A construção é de 1936 em estilo clássico.

Por Gustavo Henrique Medeiros